Investir na proteção de dados em 2022 é uma forma de garantir que seu negócio continue ativo com segurança e sempre à frente dos concorrentes.

Para te ajudar com essa missão, nós separamos aqui as principais tendências deste processo para ficar de olho. Confira!

6 tendências de proteção de dados em 2022

Proteger dados agora é lei. E em 2022, esse movimento se tornará cada vez mais forte, com mais estratégias, plataformas e ferramentas que ajudem no processo.

Abaixo, separamos algumas tendências deste setor, de acordo com estudos, pesquisas e mudanças sociais. Fique por dentro delas!

1) Adequação à LGPD

Em 2021, a Lei Geral de Proteção de Dados (Lei no 13.709/2018) foi um grande marco. E neste ano ela se mantém como protagonista das tendências.

Isso porque, em agosto de 2021, vimos o início da atuação da ANPD (Autoridade Nacional de Proteção de Dados) assim que entraram em vigor as sanções administrativas da LGPD, estabelecendo punições pesadas para quem não protegesse os dados coletados, como multas de até R$ 50 milhões ou de percentuais do faturamento para determinadas infrações.

Agora, ao longo de 2022, veremos a consolidação da lei e ela sendo cada vez mais aplicada na prática. Ano passado, um levantamento feito pelo RD Station em parceria com a Manar Soluções em Pesquisa e Eduardo Dorfmann Aranovich e Cia Advogados, mostrou dados negativos no que diz respeito à adequação das empresas brasileiras para a LGPD.

De acordo com o levantamento:

  • 77% das companhias estavam atrasadas no processo de adequação à lei.
  • 69% não possuíam ou estavam em processo de construção de políticas de proteção aos dados dos clientes.
  • 22% das companhias nacionais não haviam adotado nenhum tipo de medida de segurança relativa às informações pessoais da clientela.

Relembrando que o intuito da lei é estabelecer normas para organizações que guardam, usam e compartilham dados de clientes ou funcionários, seja online ou offline. Assim, a LGPD garante que o cidadão dê seu consentimento de quais de suas informações podem ser usadas e como serão empregadas, podendo até exigir que elas sejam deletadas do sistema das empresas.

Para não sofrer as severas punições da LGPD, é essencial que as organizações se adequem à lei e garantam a proteção de dados em 2022.

2) Reforço nas estratégias de segurança da informação

Reforçar as estratégias de segurança da informação é uma das tendências de proteção de dados em 2022, devido ao processo de transformação digital que acompanhamos.

Desde 2020, o cenário da pandemia levou diversas empresas a migrarem seus colaboradores para o trabalho remoto, ficando cada vez mais vulneráveis a ataques. Em 2022,o home office se mantém, mesmo que híbrido. Então, a cibersegurança segue em alta, focada na proteção dos dados das organizações, por meio de estratégias eficazes de segurança da informação.

No ramo de segurança da informação, algumas tendências para esse ano são:

Proteção de dados: esse segue sendo o foco da segurança da informação, principalmente pela Lei Geral de Proteção de Dados, como também pela estimativa do Gartner de que até 2023, as informações pessoais de 65% da população mundial estarão cobertas por leis específicas de proteção de dados.

Proteção no home office: como dito acima, o modelo de trabalho remoto exige a necessidade de boas estratégias de segurança da informação. Segundo estudo do Tenable e da Forrester, cerca de 74% dos líderes de segurança reconheceram que as medidas de trabalho remoto implementadas na pandemia deixaram suas infraestruturas vulneráveis a ataques maliciosos, logo, é preciso adequar a segurança desse novo cenário.

Proteção de Ransomwares: o Ransomware foi o ataque mais comum entre empresas brasileiras em 2021, segundo levantamento da Eskive. Houve um aumento de 90% de ataques deste tipo somente entre 2020 e 2021, de acordo com a SonicWall Capture Labs. Por aqui, já mostramos alguns grandes casos destes ataques, que serão um grande foco de combate do setor segurança da informação em 2022.

3) Maior adesão da proteção de endpoint

Quando falamos de Endpoint Security, consideramos o endpoint todos os dispositivos que são usados por usuários, podendo ser tablets, celulares, computadores e outros devices de acesso a internet.

Desta forma, o Endpoint Security entra como um modelo de segurança protetor destes pontos de acessos, garantindo a defesa contra invasões ou tráfegos mal intencionados.

Ele se torna uma tendência no que diz respeito à proteção de dados em 2022 por conta da rotina de trabalho remoto que as empresas pretendem manter, entrando em ação para prevenir ataques e ameaças, protegendo o device e permitindo que seja estendido para locais de rede e dados que ele acessa.

Ao ser instalado, esse método cria regras sobre a administração das permissões, certificando que todos os colaboradores saibam como agir de acordo com a segurança dos dados da organização.

O Endpoint Security é um serviço ofertado pela Softwall que também concede que o responsável de seu gerenciamento determine quais sites devem ou não ser acessados na rede privada, assim como quais são as permissões de acesso de cada usuário.

4) Big Data ainda mais seguro

Com cada vez mais dados sendo coletados a cada ano que passa, a aprimoração do uso do Big Data deve ser uma das prioridades para a proteção de dados em 2022.

Essas coletas, ao serem analisadas, tem a potência de se transformar em informações de alta relevância para as empresas, as ajudando a tomar decisões importantes e a reduzir custos.

Entretanto, o aumento desses dados recolhidos e circulação das informações precisam estar cada vez mais alinhados com as exigências estabelecidas pela LGPD, levando assim a uma aprimoração do uso do Big Data em 2022.

5) Aumento do uso de Inteligência artificial

A adoção de Inteligência Artificial automatizou setores, diminuiu diversas cargas de trabalho e deixou colaboradores mais produtivos, tornando a IA um dos grandes focos de investimentos nas empresas.

Como a Inteligência Artificial se mantém presente desde nossos celulares, softwares de gestão, controle de estoques, algoritmos de redes sociais, exames médicos e muito mais, a ideia é que ela se desenvolva para seguir ajudando na proteção de dados em 2022, evitando golpes, fraudes e desinformações.

6) Melhorias na visibilidade e inteligência de ameaças

Um dos maiores desafios das organizações, segundo estudo da Gartner, é consolidar uma capacidade operacional que gere confiança e uma postura defensiva de resposta rápida a ameaças externas.

Por isso, a visibilidade e inteligência de ameaças se tornam uma tendência para proteção de dados em 2022. Com modelos de detecção relacionados à visibilidade de riscos de segurança, empresas conseguem ver ataques complexos e pontos vulneráveis com mais clareza.

Isso ajuda as equipes a priorizar os alertas de ameaças por meio da Trend Micro, por exemplo, que fornece mais contexto e menos ruídos para solucionar rapidamente as verdadeiras ameaças.

O Trend Micro Vision One se apresenta como uma grande tendência de proteção de dados em 2022, permitindo que as organizações tenham seus sistemas de segurança operando em níveis mais especializados, analisando rapidamente incidentes e identificando padrões críticos da ameaça, assim como a complexidade dos ataques e os riscos que ele oferece à segurança.

Conclusão

É notável que a proteção de dados em 2022 será massiva e os times de TI têm uma grande missão em mãos: proteger os dados de cidadãos e os sistemas de empresas que armazenam esses dados.

Se você quer adotar algumas das soluções de proteção de dados citadas neste artigo ou saber quais são as mais adequadas para sua organização, entre em contato conosco e garanta uma solução de alto nível a qualquer tipo de ataque que você possa sofrer.

SOFTWALL – Em Curitiba e Região – Paraná:
Telefone: (41) 3153-5090
E-mail: [email protected]

Também em Balneário Camboriú e Região – Santa Catarina:
Telefone: (41) 3153-5090
E-mail: [email protected]

“Sua segurança é o nosso objetivo”

Proteção de dados em 2022: 6 tendências para ficar de olho - Softwall