A retrospectiva da tecnologia em 2021 nos traz alguns dados alarmantes quando o assunto é ataques cibernéticos. Isso porque, segundo pesquisa da Check Point, houve 40% a mais de violações a dados de organizações este ano, comparando a 2020.

Ainda nesta pesquisa, o Brasil ficou, em 2021, com o 5º lugar entre os países mais afetados do mundo quando o assunto é violação de dados de organizações.

Os ataques de ransomware, por exemplo, que é quando um computador é infectado e os dados mantidos nele são criptografados, impedindo seu acesso por parte do dono, tem um motivo para serem comuns em grandes organizações, pois para os criminosos, elas tem dinheiro para pagar o resgate e compensar o ataque.

Os vazamentos de dados também apresentam números assustadores nesta retrospectiva da tecnologia em 2021. Somente o primeiro semestre do ano acumulou 4,6 bilhões de credenciais vazadas em todo o mundo, com um aumento de 387% comparado aos 1,2 bilhões de vazamentos de 2019, segundo dados da CyberLabs.

De acordo com estudos feitos pela PSafe, empresa de cibersegurança, estima-se que 2021 termine com mais de 10 bilhões de vazamentos de dados em todo o mundo.

Além dos números alarmantes de vazamentos de dados e ataques cibernéticos, a seguir nós trouxemos alguns casos de destaque para a retrospectiva da tecnologia em 2021. Confira!

Vigência da LGPD

Embora a Lei Geral de Proteção de Dados (Lei no 13.709/2018) tenha entrado em vigor em 2020, foi em agosto de 2021 que suas sanções administrativas passaram a valer, com os artigos 52, 53 e 54 tratando destas sanções.

Junto com a divulgação das sanções, anunciou-se também a criação da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), órgão da administração pública federal que é o responsável por fiscalizar o cumprimento desta lei.

Segundo o artigo 52 da LGPD, a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) pode aplicar as seguintes sanções administrativas:

  • advertência, com indicação de prazo para adoção de medidas corretivas;
  • multa simples, de até 2% (dois por cento) do faturamento da pessoa jurídica de direito privado, grupo ou conglomerado no Brasil no seu último exercício, excluídos os tributos, limitada, no total, a R$ 50.000.000,00 (cinquenta milhões de reais) por infração;
  • multa diária, observado o limite total a que se refere o inciso II;
  • publicização da infração após devidamente apurada e confirmada a sua ocorrência;
  • bloqueio dos dados pessoais a que se refere a infração até a sua regularização;
  • eliminação dos dados pessoais a que se refere a infração;
  • suspensão parcial do funcionamento do banco de dados a que se refere a infração pelo período máximo de 6 (seis) meses, prorrogável por igual período, até a regularização da atividade de tratamento pelo controlador;
  • suspensão do exercício da atividade de tratamento dos dados pessoais a que se refere a infração pelo período máximo de 6 (seis) meses, prorrogável por igual período;
  • proibição parcial ou total do exercício de atividades relacionadas a tratamento de dados.

Queda do WhatsApp, Facebook, Instagram

A maior queda da história das redes sociais de Mark Zuckerberg não poderia ficar de fora da retrospectiva da tecnologia em 2021. No dia 4 de outubro, Whatsapp, Facebook e Instagram sofreram uma queda por mais de seis horas.

Os problemas surgiram por volta das 13h da data, interrompendo o total funcionamento das três redes sociais em aproximadamente 45 países. A partir das 20h, os serviços começaram a voltar a operar com algumas falhas e lentidão.

A Facebook Inc negou ter sofrido ataques de hackers e assumiu total responsabilidade do erro que levou a essa situação.

“Nossas equipes de engenharia aprenderam que as alterações de configuração nos roteadores de backbone que coordenam o tráfego de rede entre nossos data centers causaram problemas que interromperam a comunicação. Essa interrupção no tráfego de rede teve um efeito cascata na maneira como nossos data centers se comunicam, interrompendo nossos serviços”, declarou a empresa.

A queda aconteceu justamente enquanto a empresa estava sendo investigada por estar ciente da toxicidade do Instagram para muitos adolescentes e não fazer nada para mudar esse cenário, entre outras denúncias feitas por uma ex-funcionária que alega que o público é enganado repetidamente pela companhia.

Caso Renner na retrospectiva da tecnologia em 2021

No dia 9 de agosto, a rede de lojas Renner foi alvo de um ataque de ransomware que deixou seu site e aplicativo de e-commerce fora do ar.

Embora tenha se especulado que os datacenters da empresa tinham sido criptografados, a empresa negou essa informação posteriormente. Se isso tivesse ocorrido, a empresa teria colocado mais ainda em risco os dados de seus clientes, afinal, ao se cadastrar no site da Renner, eles pedem que se coloque um e-mail, CPF, nome completo, telefone e data de nascimento.

A empresa alegou que os dados são coletados com a ajuda da criptografia de padrão internacional, para se manterem em conformidade com a LGPD, portanto, seus bancos de dados ficaram preservados neste ataque.

Em comunicado, a varejista informou não ter tido contato com os autores do ataque, sendo assim, não fez negociações e nem pagou pelo resgate de qualquer tipo de dados, diferente da JBS.

Resgate da JBS

Para fechar nossa retrospectiva da tecnologia em 2021, trazemos o caso da JBS, que no dia 30 de maio foi atacada em suas unidades nos Estados Unidos, Canadá e Austrália, deixando as unidades destes locais temporariamente fechadas.

A invasão também de um ransomware sequestrou os dispositivos e fez a cobrança pelo resgate, fazendo com que a empresa desembolsasse o equivalente a US$ 11 milhões.

“Foi uma decisão difícil de tomar para nossa empresa e para mim pessoalmente. No entanto, sentimos que essa decisão deveria ser tomada para evitar qualquer risco potencial para nossos clientes.”, declarou Andre Nogueira, CEO da JBS USA.

Para evitar que sua empresa passe por situações de risco como as citadas aqui, conte conosco para adotar medidas de segurança no ambiente digital! Entre em contato com a Softwall para conversarmos a respeito das melhores metodologias para seu negócio.

SOFTWALL – Em Curitiba e Região – Paraná:
Telefone: (41) 3153-5090
E-mail: [email protected]

Também em Balneário Camboriú e Região – Santa Catarina:
Telefone: (41) 3153-5090
E-mail: [email protected]

“Sua segurança é o nosso objetivo”

Retrospectiva da tecnologia em 2021: relembre os principais momentos - Softwall